sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Santificai-vos porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós






Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, a Paz do Senhor!






Nesta oportunidade nós estaremos meditando na Palavra de Deus no Livro de Josué, 3:1-5

“Levantou-se, pois, Josué de madrugada e, partindo de Sitim ele e todos os filhos de Israel, vieram ao Jordão; e pousaram ali, antes de atravessá-lo.

 E sucedeu, ao fim de três dias, que os oficiais passaram pelo meio do arraial, e ordenaram ao povo, dizendo: Quando virdes à arca do pacto do Senhor vosso Deus sendo levada pelos levitas sacerdotes, partireis vós também do vosso lugar, e a seguireis, (haja, contudo, entre vós e ela, uma distância de dois mil côvados, e não vos chegueis a ela), para que saibais o caminho pelo qual haveis de ir, porquanto por este caminho nunca dantes passastes.

 Disse Josué também até povo: Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós.”.



De acordo com texto Josué com o povo tinha um grande desafio: Chegar à terra prometida. No entanto, havia um grande empecilho: atravessar o Rio Jordão. E não havia pontes sobre ele. O povo não podia atravessar a nado, pois, com eles estavam os animais, as carroças com alimentos e os seus pertences. A melhor maneira de atravessar seria por terra. E atravessar o leito seco somente através de um grande milagre. Mas assim como Deus abriu o mar Vermelho para o povo passar quando saíram do Egito, poderia fazer o mesmo agora. E para Deus abrir o rio Jordão, não era impossível.



O rio Jordão atravessa uma planície pantanosa numa extensão de 11 km; e entra em Merom, sua profundidade ai varia de 3 a 4 m
O Jordão superior compreende desde Merom até o Mar da Galiléia, extensão de 20 km.

 É um trecho com um declive de 225 m, tornando suas águas barrentas e trechos de propenso a enormes erosões. A correnteza é tanta que 20 km dentro do Mar da Galiléia, ainda se percebe sua força. Neste trecho a vegetação é media e o terreno rochoso, sua largura varia entre 8 e 15 m.
O Jordão inferior estende-se do Mar da Galiléia até ao Mar Morto, numa distância de 117 km em linha reta e 340 km pelo leito sinuoso do rio, largura variando entre 25 e 35 m e profundidade de 1 a 4 m. Este trecho sofre um declive de 200 m, pelo qual o rio desce precipitadamente, formando muitas cascatas.

Josué 3:5. "Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós".

Algumas coisas me chamam a atenção neste texto:

A necessidade que o líder Josué vê em que o povo se santifique. Eles tinham um grande desafio pela frente; deveriam chegar à terra prometida, que já estava à vista. Porém, havia um grande empecilho: o Rio Jordão tinha que ser atravessado e não havia pontes sobre ele. Não podiam atravessar a nado, pois, com eles estavam os animais, as cargas, as carroças com os seus pertences. A única forma de atravessar seria por terra. Isto poderia ser feito através de um grande milagre de Deus, a exemplo de quarenta anos atrás, quando atravessaram o mar vermelho, na saída do Egito.

O tempo para a santificação do povo. A palavra de Josué foi: Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós. O povo tinha apenas um dia para essa santificação. Não sabemos qual foi o método usado pelo povo para santificar-se. Talvez pedindo perdão pelos pecados; talvez fazendo jejuns, talvez se arrependendo dos seus pecados e confessando-os a Deus.

Talvez reconhecendo diante de Deus a sua fragilidade como povo, para atravessar o Rio Jordão, e, sendo assim, careciam de uma atuação miraculosa da parte de Deus. O fato é que Josué convoca o povo para uma santificação.


A fé de Josué nesta convocação para a santificação: "Amanhã Deus fará maravilhas no meio de vós". A caminhada cristã é movida pela fé. É por isso que o escritor de Hebreus afirmou: Sem fé é impossível agradar a Deus. "Amanhã Deus fará maravilhas no meio de vós". Ele não disse: amanhã Deus provavelmente fará maravilhas no meio de vós; tudo indica que Deus fará maravilhas no meio de vós; estou sentindo que Deus fará maravilhas no meio de vós.


 Não foram essas as suas palavras, mas: Amanhã Deus fará maravilhas no meio de vós. Josué fala com segurança, com certeza, com convicção da atuação de Deus, da presença de Deus, porque ele sabia quem era o Deus que ele servia. Para alguém pronunciar tais palavras, é necessário intimidade com Deus; é necessário que se conheça com profundamente o Deus que nós servimos. Já vos disse aqui, em outra ocasião, da necessidade que temos em conhecer profundamente o nosso Deus, para que possamos depositar plenamente a nossa confiança nele.

Eu e vocês podemos afirmar com a mesma segurança de Josué, o que Deus vai fazer amanhã em relação a nós? Creio que não. Talvez seja o fato de não termos o mesmo nível de conhecimento de Deus, como Josué tinha.
QUAIS OS MOTIVOS PELOS QUAIS EVEMOS BUSCAR UMA VIDA SANTA?

Fomos chamados, separados, antes do nosso nascimento, antes da nossa formação. Vejamos Jr.1:5: "Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísse da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações". O Senhor está dizendo à Jeremias que o conhecia antes do seu nascimento e que também já o tinha separado para ser o seu profeta. Assim, Jeremias deveria andar em santidade. Nós também fomos chamados por Deus, antes do nosso nascimento, para sermos santos e irrepreensíveis conforme disse o Apóstolo Paulo em Efésios  1:4. Não fomos chamados para uma vida medíocre, mas para uma vida de santidade; uma vida irrepreensível.



Para vermos as maravilhas de Deus. Js. 3:5. O texto escolhido para a nossa meditação, leva-nos ao entendimento que precisamos nos santificar para vermos as maravilhas de Deus sendo realizadas. Muitas vezes, deixamos de contemplar a grandeza de Deus, porque estamos em pecado; estamos com uma vida dúbia. Aos finais de semana um verdadeiro cristão, daqueles que todos gostariam de ser. Porém, durante a semana, os nossos atos são comprometedores.



Porque o nosso chamado foi para sermos santos. I Tes. 4:7.
Este texto de Paulo afirma que nós não fomos chamados para a prática da impureza. Isso é prática dos ímpios; daqueles que não foram chamados, não foram separados por Deus para viver uma vida de santidade. Nós, porém, fomos chamados para a prática da santidade; para sermos seus imitadores.



Porque é a vontade de Deus. I Tes.4:3. Paulo está dizendo que a vontade de Deus é que sejamos pessoas santas e que nos abstenhamos da imoralidade sexual. Hoje, as pessoas têm sido apressadas na prática do sexo antes do casamento e isso tem sido um desastre para o casamento. Nunca se viu tantos divórcios como em nossos dias. O Senhor não aprova essa atitude e não abençoa um casamento assim.



Porque sem santificação ninguém verá a Deus. Hb.12:14. "Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor". Os nossos pecados nos separam de Deus. Por isso, precisamos buscar a santificação das nossas vidas, através de uma vida justa, correta, que imite a vida de Cristo, que seja de acordo com o padrão de Deus. A recomendação do escritor de Hebreus também é que busquemos a paz com todas as pessoas.


Ø COMO PODEMOS SER SANTOS?

Buscando uma vida exemplar, imitando a vida de Cristo, como fez o Apóstolo Paulo;
Tendo uma vida regrada pela Palavra de Deus, fazendo dela o seu alimento espiritual diário. Nela encontramos palavras que nos alimentam e que nos ajudam a enfrentarmos as nossas dificuldades nos momentos mais difíceis;
Tendo uma vida de oração; de intimidade com Deus; de busca. É através dos nossos momentos de oração que podemos entrar em intimidade com Deus, buscar a sua presença e fortalecer a nossa alma. É através dos nossos momentos de oração que a nossa alma se desnuda das hipocrisias e se coloca diante de Deus sem qualquer barreira.


Tendo uma vida de comunhão com os irmãos, vivendo uma vida de serviço a Deus e a comunidade. Quando Jesus cita os dois maiores mandamentos: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, Ele está nos dizendo que devemos considerar as necessidades das pessoas tão importantes quanto as nossas.

 Percebemos isso no amor de uma mãe em relação ao seu filho ainda pequeno, totalmente dependente dela. É ali que ela se entrega num amor sem medida, onde ela fica totalmente despida do seu próprio interesse para se dedicar totalmente ao seu bebê; e o cerca de carinho, cuidado e atenção de todas as formas. É disso que Jesus está falando e é isto que o escritor de Hebreus está recomendando em 12:14: Esforcem-se para viverem em paz com todos.


Ø A arca do pacto (Arca da aliança e arca do testemunho).

A arca era um baú de madeira retangular (madeira de acácia) revestido com ouro puro, por dentro e por fora. Tendo 2,5 côvados de comprimento por de 1,5 côvados de altura (1,15 x 0,70 m) tinha uma moldura de ouro, ou coroa ao redor do topo (no hebraico¸ uma palavra diferente da usada para a beira do altar de incenso).

Chamada Arca da Aliança ou Arca do testemunho. Na arca continha as duas tábuas do Decálogo (os Dez Mandamentos). O Livro da Aliança que tratava da lei e das ordenanças, também fora depositado ao lado da arca. E dois outros produtos foram colocados dentro da arca.

 Um deles era um pote de ouro contendo um ômer (3,6 litros) de maná como um memorial da provisão de Deus: E a vara de Arão que floresceu (Num. 17) da qual saíram brotos e frutificou amêndoas maduras em uma única noite, como sinal da escolha de Deus por Arão para o sacerdócio (Hb. 9:4).

A arca representava o próprio Deus junto ao povo. Deus tinha feito uma aliança com Israel, mas o seu povo tinha quebrado. Mas por sua graça e misericórdia, Deus renovou a aliança, e ordenou que o registro (as tábuas de pedra) deveria ser depositado na arca. Portanto, havendo santificação, consagração, Deus estará presente. Esse é parte predominante do pacto de Deus com o seu povo. E Deus estando presente, as maravilhas acontecem.



Ø Você quer ver maravilhas amanhã? 


Nos próximos dias, nos próximos meses, durante o ano Então consagre sua vida ao Senhor Deus e abandone os pactos passados, os deuses e as práticas passadas. Deixa Deus renovar a aliança com você através de sua santificação.



Deus não faz maravilhas entre nós se não houver espírito de santificação e oração. Isto é condição "sine qua non" para que a mão de Deus se estenda para abençoar e fazer maravilhas.

Assim como o Mar Vermelho bloqueava a saída do povo do Egito e o Jordão barrava o caminho para Canaã, assim o pecado em nós barra o caminho de Deus para nós.

Entrar em Canaã equivale a estar na terra do Senhor e com o Senhor e, para entrar na terra, é preciso cruzar o Jordão, o rio da morte. Da mesma maneira, o cristão não pode entrar na posse das bênçãos e maravilhas de Deus sem antes se preparar, santificar (deixar o pecado). A cruz, onde Cristo morreu pelos nossos pecados, derruba e condena a minha vontade natural, a velha natureza com suas vis inclinações, e prepara-nos para viver na Canaã celestial.

Cristo já fez o que era difícil fazer. Ele já pagou, com Sua vida, na cruz, os nossos pecados. Agora, basta que nos cheguemos para Ele. "Chegai-vos para Mim e sede salvos..."

Deus quer fazer milagres entre nós. Quer curar as nossas enfermidades, quer parar as nossas ansiedades, quer perdoar os nossos pecados, quer tornar-nos em tudo semelhantes a Ele, por isso, chegai-vos mais perto, recebei a influência da Sua santidade... "purificai-vos e Eu farei maravilhas no meio de vós..."

Estamos disponíveis a deixar para trás as nossas devassidões, mancebias, adultérios, idolatrias, glutonarias e tantas outras coisas semelhantes a estas? Se sim, "AMANHÃ FAREI MARAVILHAS ENTRE VÓS".



O Senhor fará maravilhas na vida daqueles que se inclina a Ele.


Que Deus nos abençoe e nos guarde em nome de Jesus, amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário